O Tribunal da Relação de Coimbra confirmou hoje a absolvição de Ana Saltão, que estava a ser acusada de matar uma idosa a 21 de Novembro de 2012.
A Inspetora da Polícia Judiciária era a principal suspeita de matar a avó do marido, Filomena Alves, de 80 anos, com 10 disparos, no interior de uma residência de Coimbra.
A Relação de Coimbra negou provimento ao recurso interposto pelo Ministério Público, confirmando a decisão da primeira instância, em que o coletivo de juízes decidiu absolver a inspetora da PJ Ana Saltão pelo princípio ‘in dubio pro reo’ [na dúvida, a favor do réu].
Ana Saltão estava a ser acusada pelo Ministério Público de um crime de homicídio qualificado e outro de peculato (pelo furto da arma de um colega da PJ do Porto).
orreu em 2017, o Ministério Público manteve a sua tese e considerou Ana Saltão a autora do crime, tendo pedido a pena máxima – 25 anos de prisão – durante as alegações finais.
Nessa repetição, o tribunal voltou a absolver a inspetora da PJ, com o presidente do coletivo de juízes do Tribunal de Coimbra, Miguel Veiga, a sublinhar que a decisão de absolvição pelo princípio ‘in dubio pro reo’ [na dúvida, a favor do réu] tinha sido unânime, quer por parte do coletivo, quer por parte do tribunal de júri criado para este julgamento, repetindo a decisão tomada em 2014, na primeira instância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here