O Tribunal Metropolitano de Budapeste aceitou o pedido das autoridades portuguesas para a extradição de Rui Pinto, o hacker suspeito de ter violado o sistema informático do Benfica.
Rui Pinto foi detido em Budapeste a 16 de janeiro e encontrava-se em prisão domiciliária, mas será agora detido preventivamente até ser entregue às autoridades portuguesas. A defesa do português, porém, vai apresentar recurso desta decisão.
A Polícia Judiciária tinha anunciado que Rui Pinto terá de responder por factos suscetíveis de integrarem crimes de extorsão qualificada na forma tentada, acesso ilegítimo, ofensa a pessoa coletiva e violação de segredo. Em causa estará também a violação de contratos estabelecidos entre o fundo de investimento Doyen e o Sporting.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here