O presidente do SC Braga deixou um desafio aos árbitros que avançaram, na terça-feira, com pedidos de dispensa aos jogos do campeonato do próximo fim de semana em protesto contra o ambiente em torno da arbitragem.

«A APAF [Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol] já fez ameaças deste género no passado e acabou por prevalecer o bom senso. Mas, se falam de paragem, então que tenham coragem de parar nos jogos com os `três grandes`. São eles que têm feito este ambiente», disse António Salvador no final da reunião do apelidado G15, grupo de clubes da Liga que exclui Benfica, FC Porto e Sporting.

«Estamos contra uma certa viciação, que tem de ser mudada, e a favor de um futebol português melhor, credibilizado. Os três grandes têm de perceber que também existimos! Há que acabar com os insultos, com esta pouca vergonha! Há que intervir, nem que tenha de ser o Governo o fazê-lo», acrescentou, antes de rematar:

– É impossível continuar assim, os três `grandes` do futebol português têm de perceber, de uma vez por todas, que sem os restantes 15 clubes não há campeonato. É preciso que seja feito um debate profundo com todos.

Além da greve dos árbitros, outros temas estiveram em cima da mesa nesta reunião do G15: a criação de uma entidade autónoma para gerir a arbitragem; a vontade de centralizar os direitos televisivos na Liga para que as receitas sejam distribuídas de forma mais equitativa; a proibição de empréstimos entre clubes do mesmo escalão; entre outros assuntos que serão debatidos em nova reunião marcada para dia 29.

Tudo em prol de uma mudança no futebol português.

«Há que desmistificar: não estamos aqui sem os três grandes. Queremos que eles estejam connosco na salvaguarda do futebol português e no futuro será mesmo necessário que se juntem a nós. Também não excluímos a Liga e a FPF desta vaga de mudança no futebol português», referiu o presidente do Marítimo, Carlos Pereira.

«Este foi um passo importante para a melhoria do futebol português. Todos os aqui presentes têm um bom relacionamento com os três grandes e esperamos que os três grandes percebam os nossos problemas. Estamos apenas focados no especial interesse do futebol português», acrescentou Álvaro Braga Jr., presidente da SAD do Boavista.