Mal assumiu a presidência do Sporting, Frederico Varandas tomou também conhecimento da realidade e sabia de antemão que a resolução de alguns dos problemas passariam por realizar dinheiro no imediato para resolver as situações mais prementes.

Uma das soluções passava obviamente por resolver o contencioso com alguns dos jogadores que rescindiram contrato unilateralmente e Rui Patrício foi o primeiro caso que Frederico Varandas resolveu com sucesso.

Mesmo que não haja por enquanto muita informação sobre todos os contornos do negócio, a verdade é que a existente permite saber que há acordo entre os clubes, que a solução encontrada satisfez todas as partes, incluindo o próprio Rui Patrício e, não menos importante, o Sporting tem encaixe garantido nos cofres de cerca de 14 milhões de euros.

O acordo total entre Sporting e Wolverhampton só deverá ser conhecido nos próximos tempos, já que os gabinetes jurídicos dos clubes estão agora a passar para o papel o acordado entre os responsáveis máximos.

E, em princípio, esse mesmo acordo deverá ser disponibilizado pela SAD à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) – a SAD também publicou a rescisão unilateral do guarda-redes – antes de ser publicitado para que também os sócios e adeptos possam conhecê-lo.