A um ano do término do contrato, Brahimi poderá assinar por outro clube já em janeiro, certa que é a existência de alguns pretendentes. Uma hipótese que a SAD do FC Porto nem sequer admite, interessada que está em renovar com o internacional argelino.

A questão é que os campeões nacionais detêm só metade do passe e deixaram expirar o prazo para a compra de mais percentagem dos direitos do extremo.

A Doyen, fundo de investimento a que pertencem os outros 50 por cento, teria a venda como preferência, mas também não descartaria negociar a parte restante do passe.