Através da rede social Instagram, o defesa-central Douglas, atualmente dispensado do Sporting e a treinar à parte do restante plantel, revelou que acusou uma substância proibida num controlo anti-doping realizado em abril de 2017.
«É com enorme mágoa que informo que, num controlo anti-doping realizado em finais de abril do ano passado, acusei positivo. Em consciência, não tomei nenhuma substância dopante com o objetivo de melhorar artificialmente o meu rendimento desportivo. Não tinha conhecimento de que o remédio que ingeri – um diurético – continha uma substância proibida pelo WADA [Agência Mundial Antidoping). Fi-lo, ingenuamente, sem consultar ou informar o departamento médico do clube», escreveu o atleta, que pediu desculpa ao universo leonino:
«Quero pedir desculpa ao Sporting, aos meus companheiros, à equipa técnica, à equipa médica, à diretoria e a todos os adeptos, por ter involuntariamente cometido este erro. Nunca foi minha intenção, repito, adulterar a verdade desportiva. Assumo o meu erro e por ele peço as mais sinceras desculpas».
Douglas não cumpre um jogo oficial pelos leões desde 4 de janeiro de 2017, na derrota do Sporting diante do V. Setúbal, no Bonfim, para a Taça da Liga.
O defesa, atualmente com 29 anos, foi contratado no verão de 2016 ao Trabzonspor por um milhão de euros, tendo realizado apenas sete partidas pela equipa principal dos verde e brancos.