O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses está preocupado com este surto de legionella, que já provocou duas vítimas mortais. Jaime Marta Soares lembra que os bombeiros transportam muitas centenas de pessoas por dia nas suas ambulâncias, assim como passam muitas horas no interior dos hospitais, pelo que correm riscos acrescidos, daí ser importante estarem atentos:

Entretanto, as autoridades de Saúde admitem a possibilidade de que a bactéria da legionella possa ter surgido fora das instalações do Hospital S. Francisco Xavier, em Lisboa. Em declarações à Rádio Pública, Paulo Correia de Sousa, dos Serviços de Utilização Comum dos Hospitais, diz que, para já, é apenas uma possibilidade, porque foram identificados nas redondezas da unidade hospitalar, sete equipamentos potencialmente produtores de aerossóis e onde poderá ter começado o surto. No entanto, as autoridades consideram que o mais provável é que a bactéria tenha tido origem no interior da área do hospital:

Nesta altura, apenas está a funcionar uma das quatro torres de arrefecimento do São Francisco Xavier. O número de casos confirmados subiu, entretanto, para 34, encontrando-se cinco doentes infetados em unidades de cuidados intensivos, segundo a Direção-Geral da Saúde. O último boletim epidemiológico da DGS sobre este surto de ‘legionella’ indica que todos os infetados com a bactéria têm doenças já existentes. Esta segunda-feira, na sequência da doença, morreram duas pessoas infetadas com legionella: uma mulher de 70 anos que estava internada no Hospital de Santa Maria e um homem de 77 anos que estava internado numa unidade privada de saúde.