A Polícia Judiciária de Setúbal deteve um homem e duas mulheres suspeitos de crimes de burla qualificada e falsificação de documentos que terão lesado em seis milhões de euros uma sociedade comercial no Montijo.
Segundo um comunicado da PJ, os detidos, com idades entre os 47 e os 61 anos, aproveitaram-se do cargo de diretor-geral que um deles exercia na sociedade comercial, no distrito de Setúbal, para montar uma complexa teia empresarial através da qual conseguiram apropriar-se de clientes, contratos e negócios daquela entidade.
De acordo com a PJ, os arguidos ainda imputavam custos próprios e cobravam serviços não prestados à referida sociedade comercial.
Os factos terão ocorrido entre 2007 e 2015, período em que os arguidos se terão apropriado de cerca de seis milhões de euros, valor que a PJ diz corresponder ao prejuízo causado à sociedade comercial lesada.
Os detidos deverão ser ainda hoje presentes a primeiro interrogatório judicial para eventual aplicação de medidas de coação.