Os trabalhadores da Petrogal, empresa do grupo Galp, iniciam às 22:00 de domingo uma greve de uma semana para reclamar aumentos salariais e contra a desregulamentação dos horários de trabalho.
A paralisação, que termina às 06:00 de dia 18, começa na Refinaria do Porto, no Terminal de Leixões, e nos parques de Viana do Castelo, de Perafita, da Boa Nova e do Real.
Os trabalhadores da Refinaria de Sines, do Terminal de Sines e do Parque de Sines iniciam a greve às 0:00 de segunda-feira e terminam-na às 24:00 do dia 17 de Dezembro.
Os funcionários a laborar nas instalações da Petrogal na Área de Lisboa paralisam das 14:00 às 18:00 dos dias 11, 12, 13, 14 e 15 de dezembro.
Foi também declarada greve a todo o trabalho suplementar, nos períodos compreendidos até 12 horas antes do início de cada período de greve e até 12 horas depois do fim de cada um desses períodos.
O presidente do Sindicato da Indústria e Comércio Petrolífero, Rui Melo Ferreira, disse à agência Lusa que o protesto tem como objetivo levar a administração da petrolífera a “parar a ofensiva contra a contratação coletiva e os direitos dos trabalhadores”.
A melhoria dos salários, a manutenção dos direitos específicos dos trabalhadores de turnos e do regime de reforma e de saúde são outras das reivindicações na base do conflito.
Os trabalhadores contestam ainda a desregulação e o aumento dos horários.