O assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, será, esta quarta-feira, ouvido no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa e depois vão ser conhecidas as medidas de coação.
O dirigente ficará impedido de exercer funções e não poderá representar o Benfica em reuniões como, por exemplo, da Liga.