O pai de Daniel, menino que esteve desaparecido na Madeira em Janeiro de 2014, foi condenado a sete anos e seis meses de prisão.
O tribunal sentenciou o homem pelos crimes de violação e abuso sexual a uma menina de 11 anos.
O arguido Carlos Abreu foi condenado a sete anos de prisão pelo crime de violação de uma jovem de 17 anos sob chantagem e a 10 meses pelo crime de abuso sexual de criança ao exibir os genitais a uma menor de 11 anos, tendo o Tribunal aplicado, em cúmulo jurídico, sete anos e seis meses de prisão e ficou ainda proibido, depois de libertado, de trabalhar com crianças durante dez anos, vai ter o seu nome afixado na base de dados de pessoas que praticaram abusos sexuais e foi condenado ao pagamento de uma indemnização de 1.500 euros à criança.