A operação Ano Novo, da Guarda Nacional Republicana, que teve início na última sexta-feira e terminou à meia-noite de hoje, registou 858 acidentes, com três vítimas mortais, dez feridos graves e 339 feridos ligeiros, num total de seis mil contra-ordenações. O major Paulo Gonçalves, da GNR, considera que o balanço é negativo e explica porquê:


Apesar da diminuição do número de mortos nas estradas portuguesas, a GNR considera que os dados continuam a ser preocupantes. As infrações mais frequentes registadas durante a Operação Ano Novo foram o excesso de álcool, a falta de uso ou o uso indevido dos cintos de segurança ou o uso indevido do telemóvel:

Por sua vez, a operação Festas Seguras, da Polícia de Segurança Pública, que começou no dia 11 de dezembro e terminou, também à meia-noite, registou 3.681 acidentes, com oito vítimas mortais, 55 feridos graves e 1060 ligeiros. Norberto Rodrigues, subintendente da PSP, considera o balanço positivo, apesar do elevado número de detenções, a maioria por excesso de álcool:


No total das duas forças de segurança, há então a registar 11 vítimas mortais, 18 feridos graves e mais de 1.400 feridos ligeiros nesta época de Natal e passagem de ano.