O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve na Guarda para anunciar a adjudicação da empreitada de modernização do troço Covilhã-Guarda da Linha da Beira Baixa, cuja obra inclui a construção da Concordância das Beiras, o troço de ligação entre a Linha da Beira Alta e a Linha da Beira Baixa.
Para o ministro, a intervenção é uma obra importante para as Beiras como um todo, uma vez que potencia o desenvolvimento desta sub-região de uma forma muito importante e permitirá que se constitua como uma zona de desenvolvimento logístico importante. Além disso, sublinhou Pedro Marques, é uma obra importantíssima para permitir desenvolver, a seguir, a obra de renovação da Linha da Beira Alta.
Segundo o ministro, a intervenção que vai ser feita na Linha da Beira Baixa é a maior obra do investimento ferroviário da última década e deverá estar concluída em 2019.
A empreitada está orçada em 52 milhões de euros, integrada no plano Ferrovia 2020, cuja concretização permitirá a reabertura à exploração ferroviária deste troço com 46 quilómetros, que se encontra encerrado à circulação ferroviária desde 2009. Segundo Álvaro Amaro, presidente da Câmara Municipal da Guarda, este será o projeto mais desafiante para a cidade e para o distrito nas próximas décadas.