Quatro jogadores do Rio Ave foram constituídos arguidos, por suspeita de viciação de resultados.
A informação, avançada na noite de ontem pela SIC, diz respeito ao jogo da época passada frente ao Feirense, um desafio que os vila-condenses perderam por 2-1.
Segundo a estação de Carnaxide, os inspetores da Polícia Judiciária do Porto desconfiam que os jogadores terão recebido quantias elevadas para perderem, na polémica partida da 21ª jornada da I Liga da época passada que, na altura, levantou suspeitas que levaram à suspensão das apostas do jogo Placard.
Segundo foi noticiado, a justificação da SCM em suspender as apostas estaria relacionada com um afluxo anormal de movimentos relacionados com esta partida, em especial de uma alegada aposta de 100 mil euros de um apostador proveniente da China.
Segundo a RTP, a investigação da Polícia Judiciária do Porto decorre já há um ano e desenvolve-se no âmbito do caso ‘Jogo Duplo’. Esta investigação à prática de ‘jogos combinados’ deverá englobar ainda outros jogos da Primeira Liga das últimas temporadas. Entretanto, o Rio Ave manifesta espanto e indignação com a notícia de que quatro jogadores do clube foram constituídos arguidos por receberem dinheiro para perder um jogo. Em comunicado, o Rio Ave demarca-se dessa situação, refere que os elementos do clube notificados foram ouvidos pela Polícia Judiciária há seis meses e que não tem mais qualquer informação sobre o andamento do caso. O clube de Vila do Conde adianta que mantém a total confiança nos intervenientes bem como o desejo de ver esta situação resolvida, indo até às últimas consequências para que a verdade seja totalmente apurada. Por sua vez, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional manifesta confiança na justiça e no Rio Ave, em reacção a este caso. A Liga refere, também em comunicado, que jamais irá imiscuir-se naquilo que diz respeito aos órgãos de Polícia Criminal e aos órgãos de disciplina desportiva.