O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, sofreu mais uma derrota nos tribunais, ao ver rejeitada a providência cautelar – também interposta por Alexandre Godinho, ex-vogal do Conselho Diretivo, e Trindade Barros, que integrou a denominada Comissão Transitória da AG – em que pedia a revogação das sanções disciplinares decididas pela Comissão de Fiscalização (suspensão de sócio durante um ano).

Os argumentos de perseguição e parcialidade não foram atendidos. Em apenas um mês, foi a terceira providência cautelar em que Bruno de Carvalho saiu derrotado, na guerra com o Sporting.

A mais importante nega prendeu-se com a tentativa de anulação da deliberação da AG de destituição realizada a 23 de junho.