A neve e a chuva de níveis históricos registadas em Moscovo já provocaram uma morte, causando ainda quedas de árvores, congestionamento do trânsito e adiamentos de voos, informou hoje o autarca de Moscovo Serguéi Sobianin, numa publicação através das redes sociais.
O responsável alertou que se prevê que o tempo piore nas próximas horas, recomendando à população, especialmente os condutores, cuidados redobrados.
Nas últimas 24 horas, caíram 23 milímetros de neve e de chuva em Moscovo, correspondente a 64% da média prevista para este mês e a um máximo desde 03 de fevereiro de 1957.
O manto de neve que cobre a capital russa já ascende aos 43 centímetros de espessura nalguns lugares, sendo que o número pode vir a aumentar.
Nesta cidade com perto de 12 milhões de habitantes, cerca de 20 mil pessoas e de 10 mil camiões estão alocados a intervenções para limpeza de estradas, ruas, parques e pontes.
Ainda assim, este tem sido um dos invernos menos rigorosos naquele local.
Para os próximos dias, preveem-se temperaturas a rondar os 10 graus celsius negativos.