O ministro do Ambiente afirmou hoje que dentro de dez dias haverá uma solução alternativa para o abastecimento de água na região de Viseu e defendeu que herdou uma ausência de investimentos neste domínio, particularmente no sul. Esta posição foi assumida por João Matos Fernandes depois de confrontado pelos jornalistas com o problema da seca em Portugal e com o facto de a Câmara de Viseu ter anunciado hoje que intensificou a redução de consumos públicos de água, diminuindo ou suspendendo o funcionamento dos sistemas de rega no concelho.
No caso da albufeira de Fagilde, que abastece Viseu e mais três concelhos em redor, o ministro do Ambiente reconheceu que há um nível muito baixo de água, adiantando que dentro de dez dias haverá uma solução alternativa de abastecimento de água para aquelas populações. Em termos globais, de acordo com Matos Fernandes, Portugal está confrontado com o facto de ter um número invulgarmente alto de albufeiras com um volume invulgarmente baixo de água.
Em relação à situação do país a médio ou longo prazo, o ministro do Ambiente identificou uma tendência para que anos como este se repitam cada vez mais.