Um em cada quatro alunos do 7.º ao 12.º ano apresenta sintomas de depressão, com especial incidência nas raparigas, concluiu um estudo da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, apresentado na semana passada.
O estudo, realizado no ano letivo 2017/2018, no âmbito do programa “+Contigo”, envolveu cerca de 6.900 alunos, dos quais 6.100 foram validados, segundo o coordenador José Carlos Santos, enfermeiro especialista em saúde mental. Segundo este responsável, há cerca de 26% de adolescentes que tem sintomatologia depressiva, desde leve a moderada e grave, e destes, 600, cerca de 40%, estão em risco mais elevado de terem comportamentos auto lesivos.
De acordo com José Carlos Santos, há mais vulnerabilidade nas raparigas no que toca à saúde mental, comparativamente com os rapazes, e há mais vulnerabilidade no ensino secundário do que no terceiro ciclo.
O estudo foi apresentado durante o VII Encontro “+Contigo”, programa que integra o Plano Nacional de Prevenção de Suicídios, que decorreu na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra. No terreno há nove anos, o programa “+Contigo” tem vindo a crescer de forma progressiva ao longo dos anos, abrangendo escolas das regiões Centro e Sul, Algarve e Açores, mas o objetivo é dentro de dois anos ser estendido à região Norte.