Ganha cada vez mais forma a nova edição da Liga dos Campeões, com um figurino ligeiramente diferente no que diz respeito ao acesso à competição, visto que metade (16) das 32 equipas são dos quatro primeiros classificados do ranking.

Em virtude de Portugal ser agora sétimo classificado, o campeão português corria o risco de não ser cabeça de série, isto porque a partir deste ano o vencedor da Liga Europa (Atlético de Madrid) também tem direito ao pote 1, tal como o vencedor da Liga dos Campeões (Real Madrid ou Liverpool).

Ou seja, os dragões vão estar no pote 2, para onde pode também seguir o Benfica caso consiga passar as duas etapas até à fase de grupos.

Além disso, o pote 3 também é de grande exigência, apenas com o Ludogorets a cotar-se como acessível, no plano teórico. E mesmo o pote 4 conta com equipas como o Valência ou o Inter.

Por isso, é um cenário de dificuldade acrescida para as formações portuguesas, numa altura em que só o FC Porto está garantido – veja aqui o que falta ao Benfica para lá chegar.

Cenário atual:

Pote 1 – Real Madrid/Liverpool, Atlético Madrid, Barcelona, Bayern, Manchester City, Juventus, Paris SG, Lokomotiv

Pote 2 – Real Madrid/Tottenham, Borussia Dortmund, FC Porto, Manchester United, Shakhtar Donetsk, Benfica*, Nápoles, Basileia*

Pote 3 – Liverpool/Tottenham, Roma, Schalke 04, Lyon, Mónaco, RB Salzburgo*, CSKA Moscovo, Ludogorets*

Pote 4 – PSV*, Valência, Plzen, Celtic*, Club Brugge, Galatasaray, Inter, Hoffenheim

*Mais bem cotados das pré-eliminatórias