– O último balanço da Proteção Civil confirma que pelo menos 35 pessoas morreram nos fogos desde domingo. Há sete pessoas desaparecidas e meia centena de feridos. As autoridades admitem que o número possa ser revisto em alta, uma vez que há locais onde as equipas ainda não chegaram.

– O site da Proteção Civil indica que há 41 ocorrências em curso. Os incêndios mobilizam atualmente mais de 5.400 bombeiros e 1.600 meios terrestres. Poucos meios aéreos estão a ser usados, uma vez que as condições atmosféricas não o permitem. O distrito de Coimbra conta atualmente com 1.290 operacionais. Na Guarda há 897 bombeiros e em Leiria mais de 700. A situação em Viseu mobiliza 682 operacionais.

– O Governo decretou o estatuto de calamidade pública na última noite para todos os distritos a norte do rio Tejo. Este vai prolongar-se até às 00h00 de quarta-feira e determina a “adoção imediata de medidas que permitam disponibilizar recursos adicionais para ações de proteção civil”.

– O Presidente da Republica e o primeiro-ministro cancelaram as respetivas agendas para acompanhar de perto o desenrolar do combate aos incêndios. O chefe de Estado já emitiu um comunicado a reafirma a urgência de agir. Marcelo Rebelo de Sousa pretende visitar em breve as áreas ardidas. Esta noite, António Costa fará uma declaração ao país às 20h00.