O apuramento do Atlético Madrid para as meias-finais da Liga Europa foi sofrido. Em Lisboa encontrou um Sporting que, mesmo desfalcado de algumas das suas principais peças, se apresentou muito concentrado e determinado a complicar a vida à formação de Simeone. A imprensa do país vizinho arrasa a equipa espanhola e elogia os comandados de Jorge Jesus.

“Atlético sofre em Alvalade mas vai estar nas meias-finais (…) O Sporting foi o único a comparecer na primeira parte e demonstrou uma notável capacidade coletiva (…) Coates, que falhou no primeiro golo do Metropolitano, procurou o perdão com o primeiro golo em Alvalade. Ao seu cabeceamento respondeu o mesmo de sempre: Oblak! (…) Não havia maneira de o Atlético fazer algo no meio campo, por isso Griezmann e Diego Costa pareciam sombas.” Marca 

“A essência colchonera ficou na erva de Alvalade. Porque ninguém sofre como o Atlético, no fio da navalha. É semifinalista, mas tremeu, tremeu muito em Lisboa, contra um grande Sporting. Nos 3 minutos finais as bolas voavam sobre Oblak, procuravam o golo, o prolongamento. Petrovic, Doumbia ou Fernandes tentaram, mas uma vez a bola saiu, outras encontrou Saul, Savic, Godin, até que o árbitro apitou e os três voltaram a respirar. Eram semifinalistas. E quanto havia custado…” As

“Foi a jogar mal e a perder que o Atlético passou às meias-finais da Liga Europa (…) A superioridade dos leões sob a chuva intensa refletiu-se no marcador. Não houve rasto do Atlético num primeiro tempo de claro calor verde e branco. Costa e Griezmann apenas cheiraram a bola.” Sport

“Tudo valeu para tentar a ‘remontada’. Mesmo nos ecrãs gigantes foram colocadas frases durante o jogo dizendo ‘acreditamos que podemos’ e muitos adeptos portugueses perguntaram-se onde é que o Sporting realmente esteve no jogo de Madrid, há uma semana (…) A primeira parte foi um suplício para o Atlético. Um remate que nem foi à baliza.” Mundo Deportivo

“Sem um passe como equipa durante mais de uma hora, o Atlético Madrid chegou às meias-finais da Liga Europa em Lisboa. Vai estar no sorteio graças a Oblak e aos erros que o Sporting cometeu em Madrid (…) Não se pode jogar pior futebol, um jogo que consiste em passar a bola a um companheiro para tentar progredir. Não houve um futebolista do Atlético que não entregasse mal uma bola no primeiro tempo (…) Uma equipa grotesca que cambaleava num terreno baldio em agonia sob um manto de chuva atlântica.” El País

“O Atlético pareceu embruxado. Com um rosto desfigurado, que nunca conseguiu disfarçar. O Sporting dançou sob a chuva e não empurrou o Atlético para o abismo porque Oblak não tem por costume facilitar. Foi uma das piores noites do Atlético na Europa, uma daquelas que nunca se esquecem.” El Mundo

“Lisboa nunca foi de se fiar (…) O Atlético logrou o objetivo de passar às meias-finais mas a primeira parte foi um monólogo do Sporting ante um Atlético Madrid apático, ultrapassado pela verticalidade dos lisboetas” El Desmarque