Os autarcas estão indignados com uma nova medida inscrita no Orçamento para este ano, que obriga os municípios a criarem faixas de segurança florestal, caso os privados não o façam.
O Governo, pela voz do secretário de Estado das Autarquias, Carlos Miguel, sublinha que se trata apenas de uma retenção de verbas, que pode chegar aos 20 por cento:


Os autarcas não gostaram desta nova medida, pois não querem substituir-se ao trabalho que deve caber aos proprietários privados. Por exemplo, o presidente da Câmara da Pampilhosa da Serra discorda da penalização prevista pelo Governo.
José Brito diz que vai tentar fazer tudo o que esteja ao alcance da autarquia, mas sublinha que num concelho com uma área de 400 quilómetros quadrados é impossível cumprir o que pede a nova medida:


Por sua vez, o presidente da Câmara de Penela, também no distrito de Coimbra, afirma que a medida é perigosa, uma vez que desresponsabiliza os privados.
Luís Matias sublinha também que não vai ser possível pôr em prática esta medida porque há falta de recursos:


Dois exemplos da indignação dos autarcas, relativamente à nova medida inscrita no Orçamento de Estado para este ano, que obriga os municípios a criarem faixas de segurança florestal, caso os privados não o façam.