O Governo cumpre dois anos no domingo e seguirá, nesse dia, em peso para Aveiro, onde, pela manhã, irá reunir-se o Conselho de Ministros.
Pela tarde, tal como fez o ano passado, o primeiro-ministro, acompanhado de todo o executivo, responde a perguntas colocadas por um painel de cidadãos no “hall” da Reitoria da Universidade. Os membros do executivo também vão andar pelo país este fim de semana.
O ministro das Finanças vai visitar a Alfândega do Aeroporto de Lisboa; o da Saúde estará em Aveiro, de visita ao Centro Hospitalar do Baixo Vouga; o ministro da Administração Interna irá inaugurar, em Lisboa, o centro regional do sistema de alerta de Tsunamis e a ministra da Justiça vai dividir-se entre a capital e Évora, sendo que aqui vai inaugurar uma unidade de investigação Criminal da Polícia Judiciária.
E porque sábado é o Dia Internacional pela eliminação da violência; o governo faz-se representar na marcha em Lisboa, promovida pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima pelos ministro da presidência e da Administração Interna. Depois das negociaçṍes e acordo com os professores por causa do descongelamento de carreira, o ministro da Educação aparece em público para ir a Fafe visitar obras em duas escolas. Para o novo ministro-adjunto, Pedro Siza Vieira, fica reservada uma ida a Penela, no distrito de Coimbra, para encontrar-se com autarcas e agricultores de zonas afectadas pelos incêndios, com quem vai discutir o plano de reflorestação.