Frederico Varandas voltou a apelar à união, na sua formalização como presidente do Sporting, aspeto fundamental para o clube se conseguir «bater com os rivais».

«Nasci Sporting, cresci Sporting, respiro Sporting, mas não sou o Sporting. A minha missão é servir e a minha primeira prioridade é unir o clube. Ontem, começámos a vencer o adversário mais terrível que já tivemos em toda a nossa história: o Sporting fraturado. Hoje é um novo dia, uma nova era de um Sporting unido. Enquanto presidente quero dar e tenho que dar o exemplo. Se eu consigo unir-me com um sócio que possa ter discordado de mim, então vocês conseguem unir-se com quer que seja. Todos nós somos Sporting. Enquanto não formos realmente unidos, não nos vamos conseguir bater com os nossos rivais. É um dia especialmente emocionante. Virámos uma página, o passado ficou para trás o futuro é nosso, vosso é do Sporting», afirmou o novo presidente dos leões, numa cerimónia realizada no auditório Artur Agostinho, em Alvalade.

O médico, de 38 anos, deixou ainda uma mensagem de agradecimento aos antigos órgãos sociais do clube e aos elementos da sua equipa:

«É com este espírito de missão que [estas pessoas] vão desempenhar as suas funções, com brio, dignidade, coragem e, acima de tudo, com o privilégio que é servir o melhor clube do mundo. Nestes meses conturbados, os órgãos sociais e os funcionários mantiveram o clube vivo e quero dar-lhes o meu obrigado por isso».