Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, acusou Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, de «faltar ao respeito ao Sporting» por ter-se reunido, em separado, com Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa e não tê-lo ainda feito com Bruno de Carvalho, negando que esse facto esteja relacionado com o castigo que cumpre o presidente do Sporting.

A verdade, contudo, é que olhando para o Regulamento Disciplinar da Federação Portuguesa de Futebol (o da Liga é, neste ponto, diferente), Bruno de Carvalho está, de facto, impedido de representar o Sporting em qualquer tipo de relações oficiais com a FPF, como se pode perceber pela leitura do ponto 3 do artigo 37.º:

«A sanção de suspensão por período de tempo impede qualquer agente desportivo de exercer durante esse período, qualquer cargo ou atividade desportiva nas competições que se encontrem sujeitas ao poder disciplinar da Federação, ainda que a sanção tenha sido aplicada por órgão disciplinar de associação regional ou distrital, e inabilita-os, em especial, para o exercício das funções de representação no âmbito das competições e das relações oficiais com a FPF, com a Liga Portuguesa de Futebol Profissional e com as associações regionais ou distritais de futebol.»

O castigo que impede Fernando Gomes de reunir-se com Bruno de Carvalho refere-se à suspensão de três meses que lhe foi aplicada a 1 de setembro pelo Conselho de Disciplina, por declarações sobre a questão dos quatro títulos de campeão que reclama para o Sporting. Ou seja, uma questão relacionada apenas com a Federação, sem qualquer ligação à Liga (onde, reforçamos, os regulamentos são diferentes). O castigo termina no final deste mês, pelo que a reunião de Fernando Gomes com Bruno de Carvalho pode apenas acontecer depois disso.