FC Porto mantém-se firme nas negociações por Róger Guedes, um extremo repentista, de 21 anos, decididamente apetecível para os dragões, cedido pelo Palmeiras ao Atlético Mineiro no último Brasileirão.

Apesar duma objetiva manifestação de intensões, os responsáveis azuis-e-brancos ainda esgrimem argumentos para selar uma transferência que é uma operação complexa por envolver interesses a três, entre Palmeiras, a quem pertencem 25 por cento dos direitos desportivos, Criciúma, dono de 75 por cento do passe, e Atlético Mineiro, que exige ser indemnizado por ver interrompida prematuramente uma cedência que se prolongava até final do ano.

Mediante este quadro e com a necessária pressa de desbloquear o peso dos números em cima da mesa, o FC Porto quer ter Róger Guedes em ação o quanto antes no Olival para que Sérgio Conceição comece a magicar a melhor forma de explorar o talento do atacante, veloz dar andamento nos dois flancos, que foi até com meros 19 anos revelação do Brasileirão, celebrando um título do Palmeiras, após ter trocado o Criciúma pelo Verdão.

O FC Porto estará perto de fechar o acordo, até por ter aumentado para sete milhões de euros a parada pelo brasileiro, colocando-se na frente do rival Benfica, do campeão ucraniano Shakhtar Donestk, e dos milionários sauditas do Al Ahli e Al Wedha, a todos o Palmeiras terá declinado propostas abaixo da dos dragões.

Face à expressão radiosa do seu rendimento no galo, 13 golos em 28 jogos, é certo também que o Palmeiras parece não contentar-se com o valor apresentado, estando o FC Porto necessariamente obrigado a mais uma pequena ginástica financeira para tornar possível uma aquisição indiscutivelmente valiosa.