Nenhum responsável do FC Porto se disponibilizou a prestar declarações no final do encontro com o Feirense, apesar da vitória por 2-1, por desagrado com a atuação da equipa de arbitragem liderada por Fábio Veríssimo.

Mais: o FC Porto irá enviar para o Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) uma exposição, queixando-se de alegada dualidade de critérios demonstrada pelo juiz diante do Feirense. E com imagens e vídeo de quatro lances em concreto nos quais reclamam ter havido prejuízo das suas cores.

Além da expulsão de Felipe, que os dragões rotulam de injusta, o lance entre Óliver e Tiago Silva (já amarelado), pouco antes, em que o jogador do Feirense agarra o dragão pelo braço, e uma alegada expulsão por concretizar, é apontada a dedo na medida a efetivar. Ainda um alegado penalty, por falta cometida sobre Marcano (por assinalar) e outro lance em que Soares foi travado em falta e o seu adversário direto também teria ido mais cedo para o duche, porque já admoestado com o cartão amarelo (seria o segundo e vermelho), presidem à indignação.

Já no final da partida Sérgio Conceição tinha irrompido pelo relvado e cumprimentado Fábio Veríssimo e os assistentes, dando-lhes os «parabéns» com olhar de poucos amigos: foi afastado pelo staff e por outros jogadores dos dragões.

«Porque o que se passou na Feira foi mau demais para ser verdade, o FC Porto já anunciou que hoje mesmo apresentará ao Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol uma exposição sobre a atuação da equipa liderada por Fábio Veríssimo. O documento será acompanhado de imagens que provam a dualidade de critérios que penalizou o FC Porto e que esteve na origem da ausência de declarações quer de Sérgio Conceição quer de Danilo Pereira no final desta partida: se dissessem aquilo que lhes ia na alma, as consequências disciplinares seriam muito mais duras do que a multa que será paga pelas ausências da flash interview», referiu já esta manhã a newsletter oficial do clube, Dragões Diário.