Devido a um conjunto de contrariedades e depois de 5 edições consecutivas, o “Inspira Natal / Festival da Filhó Espichada” sofrerá uma interrupção, pelo que na próxima quadra natalícia o evento não se realizará. O anúncio foi feito pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal, José Brito, na Assembleia Municipal do dia 27 de Setembro.

A decisão da não realização do evento foi alicerçada em três fatores fundamentais, que dizem respeito ao seu cofinanciamento, ao espaço onde decorre e a constrangimentos de tesouraria, tal como foi explicado por José Brito.

Relativamente às questões de tesouraria, o autarca esclareceu que o Município está “a iniciar a reposição das infraestruturas relativas aos incêndios de 15 de Outubro de 2017”, obras essas que deverão estar impreterivelmente “concretizadas até ao final do próximo mês de Outubro”. Neste caso, no decorrer do mês de Novembro, será o Município a “regularizar o pagamento aos empreiteiros”, recebendo posteriormente a totalidade do montante investido “mediante a apresentação dos recibos à CCDR Centro”, completou.

Recorde-se que este processo deriva do programa implementado pela União Europeia após os incêndios de 2017, que prevê o auxílio financeiro às autarquias afetadas. Contudo, dos cerca de seis milhões de euros em prejuízos reais estimados na candidatura submetida logo após o incêndio, o montante atribuído ao Município de Pampilhosa da Serra – cuja deliberação apenas foi conhecida no passado mês de Junho – ronda somente metade desse valor (cerca de três milhões de euros), que será aplicado nas obras acima mencionadas.

Outro dos fatores que contribuiu para a decisão de suspender o evento que convida a saborear e reviver o tradicional natal serrano, está relacionado com o seu cofinanciamento. Apesar de nas últimas duas edições o evento ter merecido uma comparticipação de 85% no âmbito do programa “Valorizar” do Turismo de Portugal, este ano não houve oportunidade de submeter nova candidatura para a obtenção de semelhante apoio.

Quanto ao espaço que acolhe o “Inspira Natal” desde a primeira edição, José Brito, referiu que o “evento tem obrigado à utilização do Quartel dos Bombeiros Voluntários de Pampilhosa da Serra durante 3 meses”, que abrange o período de “preparação, encerramento e desmontagem”, limitando a sua utilização. Nesse sentido, o executivo “entendeu que este ano não devia ter essa atitude” porque os Bombeiros comemoram o seu 50º aniversário. “É um marco histórico e com certeza que quererão celebrar esta data na sua casa”, preconizou.

Reafirmando a crescente importância de “um evento que já faz história”, José Brito vincou que se trata apenas de “uma pequena interrupção”, de modo a que estejam criadas “as devidas condições”, para que em edições futuras o evento possa acontecer garantindo a “qualidade que lhe é reconhecida”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here