A Bienal Internacional de Marionetas de Évora volta a invadir  a cidade alentejana de 04 a 09 de junho, com 25 companhias, de 12 países.
O evento, promovido pelo Centro Dramático de Évora (Cendrev), em parceria com a câmara e apoiado pelo Ministério da Cultura, integra um total de 70 espetáculos, distribuídos por 11 espaços da cidade de Évora, revelou hoje a organização.
“A BIME está guardada na memória de muita gente, que viveu e participou nesta bienal. É um momento particular da vida cultural da cidade”, realçou hoje à agência Lusa o diretor do Cendrev, José Russo.
Por isso, continuou, “quando as pessoas souberem que vai haver BIME este ano e que está a chegar este evento com esta dinâmica à volta dos ‘bonecos’ vai ser uma grande alegria para toda a gente”.
A BIME, festival de marionetas iniciado em 1987, realizou-se pela última vez em 2013 e ficou agendada nova edição para 2015, que acabou por ser adiada para o ano seguinte e depois cancelada, devido à “ausência de fundos comunitários” para o financiamento. A edição de 2017 foi, igualmente, cancelada, com o Cendrev a invocar, na altura, o mesmo motivo, a falta de financiamento e a impossibilidade de candidatar o certame a apoios comunitários.
Segundo José Russo, este ano tornou-se possível o regresso da BIME graças ao financiamento assegurado “diretamente pelo Ministério da Cultura” após uma reunião com a ministra Graça Fonseca, e pela Câmara de Évora, ao qual se somam também apoios da Direção Regional de Cultura do Alentejo e da Turismo do Alentejo e Ribatejo.
Os marionetistas vêm do Brasil, Moçambique, Itália, Espanha, França, Bélgica, Dinamarca, Hungria, Peru, Argentina e China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here