A zona central da Urbanização de Santa Apolónia, em Coimbra, acolhe na próxima sexta-feira, dia 14, uma monumental noite de fados, a título gracioso, numa iniciativa que pretende reativar a Associação Recreativa de Santa Apolónia e envolver a comunidade neste projecto de cariz associativo.
Com vários artistas em agenda, a acção desenvolve-se ao centro da denominada “ponte dos amores” e aspira juntar as duas margens para uma pretensão comum: dar “vida” à Associação e Recreativa de Santa Apolónia, no sentido de agregar diferentes gerações, sensibilizando-as para a componente desportiva e cultural naquele polo habitacional a norte da cidade de Coimbra.

Com a colaboração gratuita de músicos e fadistas que, desde a primeira hora, evidenciaram apadrinhar a iniciativa de forma incondicional, um grupo de pessoas uniu-se no sentido de reativar a estrutura associativa e recreativa. E como a melhor “arma” é a cultura, nada melhor que iniciar com uma noite de fados para despontar novas estrelas.
O clube fechou-se sobre si próprio e é preciso aliciar associados para lhe oferecer actividade. Santa Apolónia nasceu na casa “cor-de-rosa”, única moradia que servia os intentos da quinta e que hoje é um conjunto habitacional, diferente, vivo e com qualidade urbana. Pese embora haver ainda muitas pessoas que lá moram desde os primórdios, assiste-se hoje a uma renovação geracional assinalável.
A Associação Recreativa de Santa Apolónia nasceu mas fechou-se praticamente logo a seguir. É importante despertá-la para atrair associados para a “conduzir” pela via do associativismo com o natural entusiasmo de uma “construção” que carregue sucesso. Existe muita gente jovem e alguma idosa ávida de um espaço que ajude a passar momentos lúdicos.
Os fadistas Edna, Melita, Odete, Patrícia, Tó, acompanhados pelas guitarras e violas dos músicos Arnaldo Carvalho, José Manuel Rodrigues, João Paulo, Francisco Dias, entre muitos outros, vão subir ao palco por volta das 21h30. Vai-se fazer silêncio para se cantar o fado, numa noite em que o jantar também será servido tipicamente português, com caldo verde, chouriço assado, fêveras, sardinha, arroz-doce entre outras iguarias, em que funcionará um bar de apoio.
Para apreciadores ou menos familiarizados com o fado, a próxima sexta-feira à noite promete agitar a Urbanização de Santa Apolónia num ambiente intimista criado para o efeito, cultivando o espírito associativo em redor de uma causa nobre e, nada melhor, que estar com os amigos numa noite descontraída. O fado é nosso, pertence-nos, e os nossos fadistas andam pelo mundo inteiro a mostrar o que é Portugal, é um orgulho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here