Os Estados Unidos anunciaram oficialmente a decisão de se retirarem da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), acusando a instituição de ser anti-israelita.
Os EUA conservam um estatuto de país observador, anunciou a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Heather Nauert, em vez da sua representação na agência da ONU sediada em Paris.
A diretora-geral da Unesco disse “lamentar profundamente” a decisão dos Estados Unidos, num comunicado citado pela Reuters. Esta é, nas palavras de Irina Bokova, uma perda para o multilateralismo e para a família da ONU.
A decisão terá efeito a partir de 31 de Dezembro deste ano.