Melhor marcador do Campeonato da Europa sub-19, juntamente com João Filipe, Francisco Trincão viu a sua já elevada cotação no mercado subir em flecha.

A Juventus já se colocou em campo e acenou com sete milhões de euros, mas por esse valor o extremo não sairá. E há mais clubes na iminência de avançar para a compra do passe do extremo: Roma, Mónaco, Sevilha, Chelsea e o RB Salzburgo – sendo que neste caso o destino pode também ser outro emblema do mesmo grupo, o RB Leipzig.

Há, contudo, um dado novo. De acordo com fontes próximas do atleta, foi estabelecido com o SC Braga um compromisso para que caso surja uma oferta de 12 milhões de euros até final de agosto o negócio se faça por esse montante.  O pagamento terá de ser feito a pronto e isento de comissões a intermediários.

A venda poderá render mais, se surgirem vários clubes a batalhar pelo futebolista de 18 anos, mas a referência mínima para a transferência são os 12 milhões. Por ocasião da renovação do contrato de Trincão até 2023, concretizada pouco antes do Europeu e quando o jogador tinha só mais um ano de vínculo, este compromisso ficou lavrado entre as partes.

A cláusula de rescisão atual é de 15 milhões de euros, mas sem a renovação o SC Braga corria o risco de perder muito dinheiro e receber algumas migalhas referentes aos direitos de formação, caso Trincão esperasse pelo fim do vínculo. Jogador e SAD tinham o desejo de criar um quadro em que todos saíssem a ganhar e a verdade é que se Trincão não sair já a ligação ficará ainda mais reforçada.

Mais reforçada porque no início de setembro, após o fecho do mercado, a cláusula de Trincão subirá para os 30 milhões de euros. Até por isso, os tubarões da Europa querem fechar já o negócio.

Parece claro que em face do interesse dos clubes já citados será muito difícil ao SC Braga segurar a sua pérola. Os 12 milhões (ou mais) representarão um encaixe significativo, já que a SAD tem a quase totalidade dos direitos económicos do campeão europeu sub-19.