Domingos Soares de Oliveira, administrador executivo da SAD e CEO do grupo Benfica, reagiu às palavras de Luís Godinho Lopes, antigo presidente do Sporting.

As palavras de Godinho Lopes – «Tinha Jorge Jesus e Domingos Soares de Oliveira quando fui corrido. Falei com Jorge Jesus a primeira vez em dezembro de 2012. Tínhamos combinado que seria no final dessa época. Os valores? Metade daquilo que Bruno de Carvalho pagou. Vinha ele e vinha o Domingos Soares de Oliveira. Reuni-me com ele, é sportinguista e excelente gestor, com grande trabalho no Benfica» – motivaram, pois, desmentido: «Ao longo da minha vida estive uma vez com o eng.º Godinho Lopes e este encontro aconteceu a pedido de um amigo comum, que esteve presente no referido encontro, que terá acontecido em 2012. Fui tendo conversas, ao longo destes 15 anos de Benfica, com presidentes de outros clubes e pelo que me lembro terá sido Godinho Lopes um dos presidentes com quem menos falei. Nessa conversa, o eng.º Godinho Lopes apresentou-me o seu projeto para o Sporting, numa altura em que já estaria perto da saída do clube. No final da conversa perguntou-me se eu estaria disponível para colaborar com o clube. A resposta que lhe dei foi a mesma que daria neste momento: tenho um compromisso com o Benfica, tenho muito orgulho e muita honra de estar ao serviço do Benfica e não tenho qualquer intenção de deixar o Benfica.»

Sem se deter, o administrador da SAD benfiquista reforçou a ideia de que nenhum acordo saiu do encontro e explicou a razão que o levou a reagir às declarações proferidas por Godinho Lopes na referida entrevista: «Nada quero dizer de pouco abonatório em relação ao eng.º Godinho Lopes, mas a afirmação que fez na entrevista a A BOLA, nessa linguagem futebolística, de que tinha garantido Domingos Soares de Oliveira – em relação a Jorge Jesus nada posso dizer -,  infelizmente para ele não corresponde à verdade. Resolvi fazer, pois, este desmentido em virtude de ter feito publicamente referência a esse encontro, o que me parece algo pouco sensato.»

Antes de finalizar, o CEO do Benfica rematou: «Não voltarei a falar deste tema, mas julguei importante fazer esta declaração.»