Os conselhos são da Direção-Geral de Saúde e são dirigidos a todos os cidadãos, independentemente da idade.

As temperaturas têm estado muito baixas, negativas em algumas zonas do interior do país, o que leva a um aumento do número de constipações e gripes.
O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê um aumento das temperaturas nos próximos dias, mas este aumento é pouco significativo com as noites e madrugadas a manterem-se bastante frias.

Tendo em conta este cenário, a Direção-Geral de Saúde deixa alguns conselhos aos portugueses para ultrapassarem este inverno sem qualquer doença de maior gravidade.
A primeira medida passa por tomar a vacina da gripe. Os dados mais recentes revelam que 1,1 milhão de portugueses já se vacinaram. Mais concretamente, desde o dia 1 de outubro vacinaram-se 58,3% das pessoas com 65 ou mais anos, 48,1% dos portadores de doença crónica e 49,1% dos profissionais de saúde com contacto direto com doentes.
Para quem não pertence a estes grupos prioritários há medidas que pode e deve levar a efeito para se proteger do frio, entre as quais manter-se hidratado com a ingestão de líquidos e sopas. Importante também é manter a casa aquecida e aqui é de suma importância ter em atenção o estado dos aparelhos usados no aquecimento da habitação. Nunca é demais sublinhar que caso use lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos de aquecimento a gás é imperativo ventilar a casa para evitar uma acumulação de gases que pode causar intoxicações e até levar à morte.

Outra estratégia para se manter longe do frio sem correr riscos é usar várias camadas de roupa e roupa que proteja as extremidades do corpo das temperaturas muito baixas – use luvas, gorros, meias quentes e cachecóis.