O fenómeno de “Despacito”, êxito firmado por Luis Fonsi e Daddy Yankee que tem feito história no panorama da música internacional, foi o vencedor dos Grammy Latino, conquistando quatro galardões, incluindo de melhor canção e melhor gravação do ano.
Na 18.ª edição dos Grammy Latino, que decorrereu na noite desta quinta-feira em Las Vegas, nos Estados Unidos, “Despacito” granjeou ainda o prémio de melhor fusão/interpretação urbana, pelo ‘remix’ com Justin Bieber, e o de melhor vídeo musical versão curta que – com mais de 4.300 milhões de visualizações – ostenta o recorde absoluto de visualizações na plataforma YouTube.
O espanhol Alejandro Sanz recebeu o Prémio Pessoa do Ano dos Grammy Latino.
O prémio de melhor álbum do ano e de melhor álbum de salsa foi para “Salsa Big Band” e Com o prémio de melhor álbum Pop Vocal Contemporâneo ficou a colombiana Shakira por “El Dorado”.
Para a 18.ª edição dos Grammy Latino eram candidatos o álbum “Até pensei que fosse minha”, de António Zambujo, e um tema do projeto luso-brasileiro Língua Franca, mas não conseguiram arrecada prémio.