A Guarda Nacional Republicana desmantelou uma rede internacional de furto e envio de veículos para o continente africano.
A operação, designada de ‘Africa Car’, foi o culminar de uma investigação de sete meses, que visava a prática do crime de furto qualificado de mais de 40 veículos ligeiros de mercadorias e ligeiros mistos, acrescenta a GNR, referindo que a área de ação dos suspeitos visava toda a grande Lisboa e foi posteriormente alargada a Santarém e Setúbal. As autoridades adiantam que as peças dos veículos furtados, depois de desmantelados, eram vendidas em território nacional, enquanto as partes mais valiosas, como o motor e as caixas de velocidades, eram enviadas para África, através de contentores. O material considerado inútil ou sem valor comercial era depositado em sucateiras, para destruição, garantindo desta forma o lucro total em todas as partes dos veículos furtados. Ao todo, foram detidas 17 pessoas, quinze por furto qualificado, duas por permanência ilegal no território nacional e uma por posse de arma proibida. A maioria destes indivíduos têm cadastro, sendo este relacionado com o mesmo tipo de crime.