O Governo pretende concluir os processos de consulta pública dos sete Planos Regionais de Ordenamento Florestal durante o mês de Julho, seguindo-se a transposição das suas normas para os planos diretores municipais.
Segundo o secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas, os Planos do Alentejo e Lisboa e Vale do Tejo já estão em consulta pública, seguindo-se os dois do Norte, no mês de Fevereiro, depois o do Algarve e, finalmente, os dois do Centro do país. O governante, que falava aos jornalistas à margem da sessão pública de apresentação do PROF do Alentejo, que se realizou no auditório da Universidade de Évora, adiantou ainda que o grande objetivo é que durante o mês de Julho fiquem concluídos os processos de consulta pública dos documentos para, nessa altura, se iniciar a sua transposição para os PDM’s, que terá de estar feita até 2020. Miguel Freitas referiu que os planos do Centro Litoral e Centro Interior estão mais atrasados, devido aos incêndios florestais que atingiram aquela região no ano passado, indicando que a área ardida tem que ser expressa nos documentos.
Os Planos Regionais de Ordenamento Florestal são instrumentos setoriais de gestão territorial que avaliam as potencialidades dos espaços florestais, do ponto de vista dos seus usos dominantes, além de definirem o elenco de espécies a privilegiar nas ações de expansão e reconversão do património florestal, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.