O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol anunciou a abertura de processos disciplinares ao treinador e dirigentes do Benfica e a Artur Soares Dias, por denúncia do Sporting e na sequência daquilo que os leões consideram ter sido a coacção sobre a equipa de arbitragem, ao intervalo do dérbi de Alvalade. Luís Filipe Vieira também é visado pelos verde e brancos, embora numa queixa diferente. Quanto ao caso da eventual coacção sobre Soares Dias e seus auxiliares, Rui Vitória, Rui Costa, administrador-executivo da SAD do Benfica e ainda Paulo Gonçalves, assessor jurídico dos encarnados, estão sob a alçada disciplinar do órgão presidido por José Manuel Meirim. O mesmo sucede com o próprio Soares Dias e, igualmente, com Rui Manhoso e Manuel Castelo, delegados da Liga.
Quanto ao presidente do Benfica, a exposição enviada pelo Sporting ao CD da FPF diz respeito ao teor das declarações proferidas por Luís Filipe Vieira após o dérbi. Nomeadamente, os leões questionam o facto de o líder das águias ter comparado Bruno de Carvalho a Vale e Azevedo, antigo presidente do eterno rival da Segunda Circular. Tal como vem sendo hábito, o CD remeteu já os processos disciplinares para a Comissão de Inquérito da Liga Portugal, que dará seguimento à instrução de ambos os casos.