O Tribunal da Relação do Porto deu razão ao Benfica no recurso do procedimento cautelar que visa proibir o F. C. Porto de continuar a divulgar emails dos seus dirigentes.
Por unanimidade, os juízes-desembargadores da secção cível decidiram revogar a sentença proferida pelo juiz Fernando Cabanelas, do Tribunal Cível do Porto, que recusou proibir o clube das Antas de divulgar mensagens de correio eletrónico dos mais diversos responsáveis benfiquistas, como o presidente Luís Filipe Vieira, o assessor jurídico Paulo Gonçalves, o comentador e ex-diretor da Benfica TV Pedro Guerra, e outros funcionários e diretores.
Segundo o JN, a partir de agora, o F. C. Porto e o diretor de comunicação, Francisco J. Marques, deixam de poder continuar a revelar os emails alegadamente comprometedores para o clube rival.