A Câmara Municipal da Lousã, numa ação conjunta com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, Junta de Freguesia de Serpins, Grupo de Intervenção, Proteção e Socorro da GNR e Força Especial de Bombeiros da Autoridade Nacional de Proteção Civil, está a desenvolver ações de estabilização de emergência devido ao incêndio de 15 de outubro, no baldio de Vale da Ursa, em Serpins.
Esta ação, que será repetida noutros concelhos afetados pelos incêndios, tem como objetivo o controlo da erosão e o tratamento e proteção de encostas através do corte, processamento e espalhamento de resíduos florestais, instalação de barreiras de resíduos florestais, troncos e outros e, ainda, a desobstrução de canais de encaminhamento de água, segundo as curvas de nível, numa operação que envolve cerca de 30 operacionais. De referir que a Câmara da Lousã apresentou, também, uma candidatura a fundos comunitários, nomeadamente ao Fundo de Estabilização de Emergência, que ascende a 400 mil euros e que tem como objetivo a realização deste e de outro tipo de trabalhos de estabilização de emergência em toda a área afetada pelo incêndio, estando a aguardar a aprovação da mesma.