Menos de cinco meses após a última grande atualização do seu preçário, o banco público volta a a encarecer um vasto leque de serviços. Entre os principais estão a “conta pacote” mais barata da instituição ou mesmo as transferências MB Way que passam a ser cobradas. As subidas chegam ainda aos levantamentos ao balcão, às cadernetas, aos cheques, até ao processamento da prestação da casa.
A grande novidade nesta alteração de preçário no banco liderado por Paulo Macedo, acontece logo no primeiro mês do próximo ano, a aplicar-se a partir de 25 de janeiro.
As transferências MB Way passam, a partir dessa data, a ser cobradas a quem use a app do MB Way. O custo destas transferências será de 88,4 cêntimos por operação.
Na utilização das contas tradicionais também há acréscimos de custos para quem pretenda efetuar levantamentos de dinheiro ao balcão. Aos clientes que a partir de 25 de janeiro apresentem a caderneta para levantar dinheiro serão cobrados 3,12 euros.
A atualização de cadernetas ao balcão também fica mais cara. Deixa de custar os atuais 1,04 euros, para passar a custar 2,08 euros.
Em março de 2020, chega a vez dos clientes com crédito à habitação também passarem a pagar mais as prestações. A comissão de processamento mensal dos empréstimos da casa atualmente em vigor na CGD é de 2,60 euros. A partir de 25 de março, passa a custar 2,86 euros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here