A Associação SOS Arganil, criada após o incêndio de 15 de Outubro de 2017, organiza, na próxima sexta-feira, uma ação de reflorestação com 2.500 árvores em baldios geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.
A ação é feita em parceria entre o instituto, a empresa GLSA, que leva até Arganil 25 trabalhadores para ajudarem na plantação das árvores, e a Abramud e Sentido Verde, que doou as plantas, disse à agência Lusa o presidente da SOS Arganil, Rodrigo Oliveira.
A reflorestação vai decorrer em baldios na localidade de Sardal, freguesia de Benfeita, sendo que as árvores que serão plantadas são uma espécie de cedro, mais resiliente ao fogo.
Para além desta ação, a associação está já a preparar outra iniciativa semelhante para os baldios de Cepos, também no concelho de Arganil, contando com cerca de mil árvores, entre castanheiros, medronheiros, carvalhos e pinheiros mansos. Para além de organizar iniciativas de reflorestação, a associação tem ajudado vítimas do incêndio no concelho, seja com a entrega de bens materiais, seja com ações de voluntariado para a reconstrução de casas, barracões ou currais, sendo que a primeira casa reconstruída no concelho de Arganil, através de uma parceria com uma empresa de Lisboa, foi entregue a 6 de Janeiro.