A URZE – Associação Florestal da Encosta da Serra da Estrela defendeu hoje a recuperação das áreas destruídas pelos incêndios naquela região e também uma aposta na pastorícia como meio de prevenção dos fogos rurais.
Em declarações á agência Lusa, José Mota, presidente daquela associação, que tem sede em Gouveia, no distrito da Guarda, diz que a aposta tem que passar fundamentalmente por duas componentes na Serra da Estrela: a pastorícia e uma floresta feita com pés e cabeça. De referir que a URZE tem a decorrer um projeto de pastorícia na rede primária de Alfátima, uma cumeada entre as encostas de Gouveia e de Manteigas, onde são mantidas 400 cabras que fazem o trabalho de bombeiros.
Ainda segundo José Mota, se nos incêndios deste ano e de 2015 a rede primária de gestão de combustíveis, que impedem a progressão dos incêndios, não tivesse sido mantida com o recurso à pastorícia, as consequências teriam sido muito maiores. No futuro, José Mota defende a recuperação de todas as áreas degradadas da Serra da Estrela, que neste momento serão mais de 50 mil hectares, com plantas autóctones.