“O Governo Regional da Madeira lamenta a morte do Dr. António Arnaut, reconhecido como fundador do Serviço Nacional de Saúde” (SNS), lê-se numa nota do executivo madeirense.
O Governo Regional da Madeira, liderado pelo social-democrata Miguel Albuquerque, “expressa sentidas condolências à família e amigos, prestando uma última e reconhecida homenagem a um português ilustre, que dedicou uma vida inteira à causa pública, com relevantes serviços prestados ao país”.
Também o PS da Madeira expressou “grande pesar” pelo falecimento do cofundador do partido, corroborando que “deixa o PS de luto e o país mais pobre, dados os relevantes serviços prestados à causa pública, em particular o seu papel na construção do Serviço Nacional de Saúde”.
“Homem de causas, António Arnaut distinguiu-se pelo seu trabalho e sentido humanista e pela sua ética republicana, sendo igualmente de relevar o facto de ter sido um grande defensor dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos portugueses”, pode ler-se na nota distribuída pelos socialistas madeirenses.
Na nota é ainda referido que António Arnault “foi ministro dos Assuntos Sociais no II Governo Constitucional, liderado por Mário Soares, sendo nessa qualidade que lançou o SNS” e que, desde 2016, era presidente honorário do PS.

António Arnaut, advogado, nasceu na Cumeeira, concelho de Penela, distrito de Coimbra, em 28 de Janeiro de 1936, e estava internado nos hospitais da Universidade de Coimbra.