Mais de 231 mil cidadãos portugueses já pediram o estatuto de residência obrigatório no Reino Unido, devido ao ‘Brexit’. Esta informação foi anunciada, esta quinta-feira, pelo ministério do Interior britânico.

O Brexit acartou consigo vários entraves à permanência dos europeus no Reino Unido. Para continuarem no país que os acolheu e acolhe, terão que pedir o direito residência até 31 de dezembro de 2020. Os que não o fizerem neste prazo podem ser considerados imigrantes ilegais e serão passíveis de deportação.

No mês de dezembro, foram registadas 10.700 candidaturas portuguesas e 139.500 de outros europeus. Estas juntaram-se às quase 2,6 milhões de europeus que já completaram o processo.

De acordo com o relatório publicado, hoje, até agora 58% dos candidatos receberam um título permanente e 41% um título provisório. Apenas seis candidaturas terão sido recusadas devido à falta de elegibilidade (por terem cometido crimes graves).

O estatuto de residente permanente (‘settled status’) é atribuído àqueles com cinco anos consecutivos a viver no Reino Unido. O que estão há menos de cinco anos receberão um título provisório (‘pre-settled status’) até completarem o tempo necessário.

O governo português estima que residam no Reino Unido cerca de 400 mil portugueses. Assim, Portugal continua a ser o país com o quarto maior número de nacionais registados no sistema de regularização migratório para os europeus. Sendo os primeiros lugares ocupados pela Polónia, Roménia e Itália.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here