A companhia aérea irlandesa Ryanair anunciou, esta quarta-feira, que vai eliminar empregos e encerrar duas bases no próximo verão devido a uma previsão de queda no movimento de passageiros provocada por atrasos na entrega de aviões Boeing 737 MAX.

De acordo com a Lusa, a companhia aérea informou que vai alterar o seu calendário de voos para o verão de 2020. Esta mudança prende-se com o encerramento, em março, das bases de operações em Nuremberga (Alemanha) e em Skavsta (Suécia). Simultaneamente, informa que vai, também, reduzir a capacidade de algumas das restantes bases.

A Ryanair indicou no mês passado que existia “um risco real” de não ter todos os aparelhos novos em 2020. Hoje, confirmou que, em vez dos 20 aparelho previstos, só vai receber 10 aviões MAX.

A companhia calcula, ainda, que o número de passageiros vai diminuir em um milhão, apontando para o transporte de 156 milhões de passageiros no próximo exercício fiscal.

Em comunicado, o administrador da Ryanair Eddie Wilson lamenta o encerramento destas duas bases. Apesar dos atrasos na entrega dos nossos aviões Boeing MAX, o dirigente assegurou que a empresa continua a trabalhar com o fabricante norte-americano e com os aeroportos afetados para “minimizar” os cortes na sua capacidade e as “perdas de empregos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here